sábado, 5 de abril de 2014

Cantareira: Chuva de março supera a média

Cantareira: Chuva de março supera a média
Depois de O volume de chuva que caiu sobre o Sistema Cantareira em março ficou acima da média histórica. A informação consta no site da Sabesp de 31/03/14.
Em março choveu 193,3 mm sobre Cantareira sendo que a média histórica é de 184,1 mm. A última vez que choveu mais do que a média foi em julho de 2013. O volume de chuva observado em março de 2014 é o maior desde fevereiro de 2013 quando choveu 249 mm.
Apesar da chuva volumosa, a reserva de água continua baixando. A chuva que cai não consegue repor o que é gasto pelo consumo e a perda natural por evaporação. A reserva de água em 31 de março estava em 13,4% da capacidade total Há um ano, o Cantareira estava com 62,1% de água.
A chuva de março veio acima da média, mas a deficiência era muito grande e o quadro de seca persiste.
Estamos entrando no período normal de estiagem e daqui para frente a chuva vai ficar cada vez mais escassa. A tendência da queda natural da temperatura ajuda a diminuir a evaporação.
Cantareira: chuva de março perto da média histórica em 23/03/14.
As pancadas de chuva mais frequentes de março não estão sendo suficientes para reverter o quadro de seca. Em 24/03/14, pela informação da Sabesp, a quantidade de água armazenada no Sistema Cantareira era de 14,5 % de sua capacidade total, um decréscimo de 0,1% em relação ao dia anterior.  O total de chuva acumulado no mês está em 181,6 mm, sendo que a média normal de chuva para março é de 184,1 mm. Choveu 1,3 mm de ontem para hoje. Há um ano, a reserva no Cantareira era de 61,1%.
O volume de chuva acumulado no Cantareira em março é o maior desde fevereiro de 2013, quando em 28 dias choveu aproximadamente 249 mm. Mas naquela época, a reserva de água estava alta, em torno de 57%.
O nível atual de armazenamento é o mais baixo desde o início das operações do sistema, no começo dos anos 1970.  O Sistema Cantareira, o maior e principal reservatório para o abastecimento de água para Grande São Paulo está com pouca água. O calor muito acima do normal e a chuva muito abaixo da média do verão de 2014 foi um os principais culpados.
A situação é cada vez mais preocupante. O período de estiagem se aproxima e falta de chuva vai continuar.
Confira a reportagem de Maira Di Gaimo.
Acompanhe a previsão de chuva diária sobre o Sistema Cantareira, que aparece nos mapas desenhado em roxo. A “média” que aparece no canto inferior direito representa a média diária de chuva estimada dentro do da área do Sistema Cantareira.
Cantareira sem chuva. E agora? Em 21/03/14
A falta de chuva no verão derrubou os níveis de água do Sistema Cantareira.  A situação é crítica e período seco se aproxima. O maior reservatório para abastecimento de água para a Grande São Paulo terminou o verão de 2014 com menos de 15% de reserva. Qual a expectativa dos meteorologistas? A Sabesp já está tomando medidas preventivas?
Cantareira registra maior chuva desde fevereiro de 2013 em 17/03/13.
As pancadas de chuva sobre o Sistema Cantareira estão sendo mais frequentes desde o início de março e já ocorreram vários eventos de chuva forte. Pelas medições da Sabesp, o volume de chuva acumulado em março chegou aos 128,2 mm na manhã do dia 17. É a maior quantidade de chuva sobre o Cantareira desde fevereiro de 2013, quando choveu 249 mm.
Mesmo assim, o volume de chuva que vem sendo acumulado não está compensando as perdas pelo consumo e pela evaporação, a reserva vem baixando.
O Sistema Cantareira, conjunto de represas responsáveis pela maior parte do abastecimento de água da capital paulista e da Grande São Paulo, está com menor reserva de água de sua história, desde o início das operações no começo dos anos 1970. No dia 17 de março, o armazenamento era de apenas 15% de sua capacidade de total.
No próximo fim de semana, o primeiro do outono, uma nova frente fria chega a São Paulo estimulando mais chuva sobre o Cantareira. Mesmo assim, a deficiência de água ainda será muito alta e o quadro de seca não será revertido.
BH tem sábado de sol em 15/03/14
O tempo seco e quente predomina em Belo Horizonte neste sábado. O sol fica forte o dia todo, Algumas nuvens podem surgir no céu, por causa do calor, que vai ficar em torno dos 30°C durante várias horas à tarde.
Mas se você já está pronto para pegar a bike e sair por aí, não se preocupe com a chuva. Apesar do calor, a chance de chover hoje na Grande Belo Horizonte é pequena. Os níveis de umidade continuam um pouco baixos para esta época do ano.
Naquela paradinha da ladeira, #fotografeotempo mande para a Climatempo. Tem lugares que a gente só consegue ir de bike!
Quem vai de bike sabe.
Boas pedaladas para você
Equipe bikeClima
Verão seco: Rio de Janeiro tem menos de 20 dias com chuva em 12/03/14.
Verão seco
A maior lembrança do verão de 2014 no Rio de Janeiro será o sol forte, o calor e a seca. O verão está terminando deixando a capital fluminense quase sem chuva. Do início de 2014 até o dia 12 de março, portanto em 71 dias, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou chuva em algum de seus postos de observação espalhados pela cidade em apenas 18 dias. O sol forte vai predominar no Rio de Janeiro por mais alguns dias.
A chance de chover é baixa pelo menos até o domingo. Até lá, os termômetros não devem marcar 40°C, mas os cariocas vão continuar sentindo bastante calor.
As previsões a médio prazo indicam que o outono vai começar com frente fria provocando chuva no Rio. A nova estação se inicia no dia 20 de março, às 13h57, de Brasília.
Rio de Janeiro continua quente e seco em 11/03/14.
O verão está terminando e o Rio de Janeiro continua quente e seco. O efeito da frente fria que provocou chuva no fim de semana passado já não existe mais. A temperatura em 01/04/14 chegou aos 37,6°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.
O sol forte vai predominar no Rio de Janeiro por mais alguns dias. A chance de chover é baixa pelo menos até o domingo. Até lá, os termômetros não devem marcar 40°C, mas os cariocas vão continuar sentindo bastante calor.
As previsões a médio prazo indicam que o outono vai começar com frente fria provocando chuva no Rio. A nova estação iniciou em 20 de março, às 13h57, de Brasília.
Verão seco
A maior lembrança do verão de 2014 no Rio de Janeiro será o sol forte, o calor e a seca. O verão está terminando deixando a capital fluminense quase sem chuva. Do início de 2014 até o dia 12 de março, portanto em 71 dias, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou chuva em algum de seus postos de observação espalhados pela cidade em apenas 18 dias.
Desde o começo do ano, a temperatura no Rio atingiu ou superou a marca dos 40°C nove vezes, mas quase todas foram em fevereiro, que superou o “fevereiro” de 2006 em dias de calor de quarenta graus. Em fevereiro de 2014, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 40°C ou mais no Rio de Janeiro em sete dias. A maior temperatura do ano, até agora, foi de 41,4°C no dia 10 de fevereiro.
Cantareira tem maior acumulado de chuva desde novembro de 2013 em 10/03/14.
A chuva de março está sendo mais generosa sobre o Sistema Cantareira, maior e principal reservatório para abastecimento da Grande São Paulo. Pelas medições da Sabesp, em 10 dias choveu 92,8 mm. Foi a maior quantidade de chuva acumulada desde novembro de 2013, quando choveu 97 mm, mas em 30 dias.
O gráfico mostra o total de chuva ocorrida e a média normal de chuva sobre o Cantareira entre novembro de 2013 e 10 de março de 2014. Os valores foram aproximados. Mas apesar da chuva volumosa, o quadro de seca não se altera. A reserva de água na manhã do dia 10 de março era de apenas 16,0%, 0,1% menor do que observado em 30/03/14.
A previsão é de que o tempo fique mais seco, menos propício a chuva até o fim do verão. Mas a chuva deve voltar volumosa nos primeiros dias do outono que começa oficialmente no dia 20 de março, às 13h57 min, pelo horário de Brasília.
Cantareira tem 42% da média de chuva de seis meses em 07/03/14.
O Sistema Cantareira, maior e principal reservatório para abastecimento de água para a Grande São Paulo vem tendo muito menos chuva do que o normal nos últimos seis meses. De outubro de 2013 até o dia 7 de março, a Sabesp mediu aproximadamente 491 mm de chuva sobre o Cantareira. A soma da média de chuva mensal, de outubro a março, é de 1171 mm. A quantidade de chuva que caiu do início de outubro até a manhã do dia 7 de março de 2014 corresponde a 42% deste total.
Há previsão de chuva moderada a forte sobre o Cantareira para os próximos 15 dias, mas o quadro de seca não será revertido.
Em 07/03/14 a reserva de água do Cantareira era de apenas 15,8%, segundo a Sabesp.
Cantareira: chuva de março está próxima da média histórica em 26/02/14.
As pancadas de chuva mais frequentes de março não estão sendo suficientes para reverter o quadro de seca. No dia 23 de março de 2014,  pela informação da Sabesp, a quantidade de água armazenada no Sistema Cantareira era de 14,6 % de sua capacidade total, um aumento de 0,1% em relação ao dia anterior.  O total de chuva acumulado no mês está em 180,3 mm, sendo que a média normal de chuva para março é de 184,1 mm. Choveu 1,9 mm de ontem para hoje. Há um ano, a reserva no Cantareira era de 60,7%.
O volume de chuva acumulado no Cantareira em março é o maior desde fevereiro de 2013, quando em 28 dias choveu aproximadamente 249 mm. Mas naquela época, a reserva de água estava alta, em torno de 57%.
O nível atual de armazenamento é o mais baixo desde o início das operações do sistema, no começo dos anos 1970.  O Sistema Cantareira, o maior e principal reservatório para o abastecimento de água para Grande São Paulo está com pouca água. O calor muito acima do normal  e a chuva muito abaixo da média do verão de 2014 foi um os principais culpados.
Acompanhe a previsão de chuva diária sobre o Sistema Cantareira, que aparece nos mapas desenhado em roxo. A “média” que aparece no canto inferior direito representa a média diária de chuva estimada dentro do da área do Sistema Cantareira. (climatempo)

Nenhum comentário: